Está no ar...
Interativa Sertaneja
Interativa Sertaneja
Com Caju Barbosa
De 16h00 às 19h00
A seguir...
Conexão Interativa
Conexão Interativa
Com INTERATIVA FM
De 20h00 às 22h00
E depois tem...
Love Night
Love Night
Com INTERATIVA FM
De 22h00 às 00h00

CLIPE > POLITICA

Postada em 18/11/2020 ás 06h42 - atualizada em 18/11/2020 ás 06h42
Rondônia tem a 2ª maior abstenção do país no primeiro turno; 27,81% dos eleitores não foram votar
Maior índice de abstenção entre as maiores cidades foi em Ariquemes, com 32,09%. Primeiro turno das eleições ocorreu no domingo (15).
Rondônia tem a 2ª maior abstenção do país no primeiro turno; 27,81% dos eleitores não foram votar

Quase três em cada dez eleitores aptos a votar em Rondônia não foram às urnas no primeiro turno das eleições de domingo (15). O índice ficou em 27,81% e é o segundo maior entre os estados, ficando atrás apenas do Rio de Janeiro, onde a abstenção foi de 28,08%.



Conforme os dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), entre as maiores cidades de Rondônia, a que teve o maior percentual de eleitores ausentes nas sessões foram Ariquemes e Ji-Paraná, com 32,09% e 30,04%, respectivamente.



Já se levar em consideração todos os 52 municípios do estado, Cujubim (RO) fica com o destaque, com 34,52% de abstenção. A cidade está entre as cinco país com maior porcentagem de eleitores que não compareceram para votar.



O menor índice entre os maiores municípios é de Vilhena, onde a abstenção ficou em 26,93%. O total de eleitores ausentes em todo o estado foi de 331 mil.



Os eleitores que não puderam comparecer às urnas no primeiro turno devem justificar a ausência até o dia 14 de janeiro. Os faltantes do segundo turno têm até 28 de janeiro para apresentar justificativa à Justiça Eleitoral. A justificativa pode ser feita pelo aplicativo E-título ou nas zonas eleitorais.



O eleitor que não justificar a ausência dentro do prazo estipulado pelo TSE terá que pagar multa para regularizar a situação.



Enquanto estiver em débito com a Justiça Eleitoral, ele não pode, por exemplo, tirar ou renovar passaporte, receber salário ou proventos de função em emprego público, prestar concurso público e renovar matrícula em estabelecimento de ensino oficial ou fiscalizado pelo governo – entre outras consequências.



Aquele eleitor que não votar por três eleições seguidas, não justificar ou nem quitar a multa devida terá sua inscrição cancelada. A regra não vale para eleitores que não são obrigados a votar, como analfabetos, maiores de 16 e menores de 18, além de maiores de 70 anos.


FONTE: G1
PUBLICADO POR: Anilson rocha (Jaru - RO)

COMENTÁRIOS

VEJA TAMBÉM

Patrocinadores

Programação   •    Locutores   •    Notícias   •    Mural de recados   •    Agenda de shows   •    Clipes   •    Contato

© Copyright 2020 :: Todos os direitos reservados